Um problema pulmonar em nossos filhos certamente gera uma angústia muito grande. Na grande maioria das vezes um bom clínico resolverá a situação. Porém, em determinados casos, a cirurgia torácica pode ajudar

A cirurgia torácica infantil está relacionada às malformações pulmonares e doenças infecciosas.

Dentre elas as mais comuns são:

  • Cistos broncogênicos
  • Sequestro pulmonar
  • Malformação adenomatóide cística
  • Enfisema lobar congênito

NESSE ARTIGO CIENTÍFICO, O Dr. Altair da SIlva Costa Jr. descreve em detalhes parte da sua experiência em cirurgia torácica infantil

As malformações pulmonares são relacionadas ao desenvolvimento embriológico incompleto ou inadequado. Como o próprio nome já diz, são regiões do pulmão ou do tórax malformadas, que não tem as suas funções normais e acarretam alterações na respiração. De modo geral, os sintomas mais freqüentes são tosse, desconforto torácico e falta de ar. Freqüentemente são confundidas e tratadas como infecções pulmonares, pneumonias. Quase metade das malformações pulmonares apresentam ou apresentarão alguma complicação. As mais freqüentes: infecção, sangramentos, degeneração maligna (desenvolvimento de câncer na própria malformação) e limitação respiratória.

EMBRIOLOGIA HUMANA: SAIBA MAIS EM DETALHES AQUI.

Pneumonias complicadas na infância

Empiema pleural

As pneumonias são infecções muito comuns na infância. Cerca de 40% delas apresentam derrame pleural (liquido ao redor do pulmão) associado. Este liquido é produzido pela própria inflamação decorrente da infecção pulmonar. Em 10%, o derrame pleural se torna infeccioso e é chamado de empiema pleural. Há a formação de pús ao redor do pulmão e este precisa ser retirado. O procedimento para tal é chamado de drenagem torácica ou pleural. O principal objetivo é retirar o liquido infectado e proporcionar a expansão pulmonar (o pulmão retornar ao seu tamanho normal). Às vezes, a presença do empiema pleural ocasiona um espessamento pleural e o pulmão não expande após a drenagem. Quando isto ocorre é necessário um cirurgia, a decorticação.

Portanto, as infecções pulmonares complicadas com derrame pleural precisam do auxílio de um cirurgião torácico. Os procedimentos necessários para o diagnóstico e  tratamento adequado podem ser:

  • Toracocentese: punção do liquido pleural por anestesia local e agulha.
  • Objetivo: examinar as características do líquido pleural e definir o tratamento necessário.
  • Drenagem torácica: retirar o derrame pleural infectado (empiema) e re-expandir o pulmão.
  • Decorticação: cirurgia para limpeza da cavidade pleural e retirar o espessamento pleural formado no pulmão.

Pneumonia necrosante

Além do empiema, temos outra complicação decorrente da pneumonia, a necrose pulmonar. Esta situação é atribuída a uma bactéria muito agressiva que forma verdadeiras cavidades (buracos) no parênquima pulmonar. O termo necrose significa morte do tecido, gangrena. Quando ocorre, estas crianças se encontram em estado grave, com risco de vida e necessidade de tratamento em terapia intensiva – UTI. Geralmente, somente a administração de antibióticos não é suficiente para controle da infecção e se faz necessário uma cirurgia para limpeza do pulmão e ressecção da área acometida. 


 

Voltar