Introdução e Anatomia

O seu médico recomendou a cirurgia do pulmão porque é a melhor forma para tratar a sua doença. Provavelmente você deve ter realizado diversos exames para a decisão da cirurgia, em conjunto com seu médico. A seguir, algumas informações e orientações.

O que é a Cirurgia Torácica?

 Cirurgia torácica é a especialidade que realiza cirurgias e procedimentos na região do tórax.
Entre as mais diversas operações, as mais comuns são as pulmonares.
Realizamos estes procedimentos basicamente de duas formas: por toracoscopia e por toracotomia.
Seu médico decidirá qual a melhor forma no seu caso.

Toracoscopia:
usamos pequenas incisões e através delas, o cirurgião coloca uma pequena câmera pela qual pode ver o pulmão e a cavidade torácica através de um monitor e assim, realizar a cirurgia.

Toracotomia:
usa-se uma incisão maior. Essa abertura permite ao cirurgião ver diretamente o pulmão.

Existem opções de tratamento?

O médico dará o máximo de informações possíveis sobre a sua doença e as melhores formas de tratamento para o seu caso.
Será explicado porque a cirurgia é a melhor opção e, em conjunto, decidirão a opção que melhor tratará.

Anatomia

Para saber como a cirurgia pode ajudar, primeiramente deve-se conhecer a anatomia dos seus pulmões.
São dois pulmões que ocupam a maior parte do tórax.
Eles são divididos em partes chamadas de lobos; três no pulmão direito e, dois no pulmão esquerdo.
Cada lobo pulmonar é subdivido em segmentos, que podem variar de 2 a 5, dependendo do lobo.
O ar entra nos pulmões e lobos pelos brônquios (passagem aérea).
Cada lobo contém muitos sacos de ar microscópicos chamados alvéolos.

Na cirurgia podemos ver e examinar os pulmões e assim, tratar as doenças pulmonares ou determinar o diagnóstico.
Se um tumor é encontrado, a cirurgia pode definir as causas através de uma biopsia (retirar uma amostra) ou, se necessário remove-lo por inteiro.
O tamanho da lesão determina se é um Nódulo (uma lesão no pulmão menor que três centímetro de diâmetro) ou Massa pulmonar(maior que três centímetros).
Em ambos temos que realizar uma biópsia (amostra) para determinar se é benigna ou maligna.
A região que fica entre os pulmões é chamada de mediastino e nela existem muitos linfonodos, semelhantes aos que existem na axila e no pescoço.
No tórax, este linfonodos são divididos em cadeias ou estações, de 1 a 9.
É muito importante saber a doença pulmonar atingiu para este linfonodos, principalmente se houver a suspeita de câncer.

 Cada parte do pulmão tem uma via preferencial de drenagem para determinadas estações linfonodais.
O nome técnico da retirada destes linfonodos é linfadenectomia mediastinal, parte complementar da ressecção pulmonar.
Se a massa puder ser removida, avaliamos o tamanho, localização e sua disseminação para decidir quanto do pulmão será removido.
A remoção de uma parte ou de todo pulmão é chamada de ressecção.

São divididas em:

  • Ressecções sublobares (ressecção de uma parte menor que um lobo):
    • Ressecção em retângulo ou em cunha
    • Segmentectomia: ressecção de um segmento do lobo, de forma anatômica.

  • Ressecções maiores:
    • Lobectomia: ressecção de um lobo do pulmão.
    • Pneumonectomia: ressecção de um pulmão inteiro. 

  

Altair da Silva Costa Júnior
Ricardo Sales dos Santos
André Trajano

Baixe o PDF, clique aqui.


 

Voltar